quinta-feira, 28 de fevereiro de 2013

Antónia e as cabras

 

Manhã tranquila numa aldeia Alentejana, dia desses....

O padre estava em frente da igreja quando viu passar a Antónia de uns nove ou dez anos, pés descalços, franzina, meio subnutrida, ar angelical, conduzindo umas seis ou sete cabras.

Era com esforço que a criança conseguia reunir as cabras e fazê-las  caminhar.

O padre observava o seu trabalho.
Começou a imaginar se aquilo não seria um caso de exploração de trabalho infantil
e foi conversar com a menina.

- Olá, Antónia. O que estás a fazer com essas  cabras?
- Vou levar para o bode as cobrir, Sr. Padre.
Vou levá-las para o monte do Ti Chico Carlos.

- És capaz de me explicar uma coisa, Antónia!  
Porque não é o teu Pai ou Irmãos a fazer isso?
- Já fizeram... Mas não empranha... Tem que ser mesmo um bode!...

segunda-feira, 25 de fevereiro de 2013

Nem foi preciso Advogado

 

Um homem foi apresentado perante o juiz e acusado por ter feito sexo com um cadáver feminino.

* *Disse o juiz:

Em 20 anos de magistratura, nunca ouvi uma coisa tão nojenta e imoral.
Dê-me uma única razão para eu não pô-lo na cadeia!

Vou lhe dar não uma, mas TRÊS boas razões:

1º) Não é da sua conta;
2º) Ela era minha esposa;
3º) Eu não sabia que estava morta. Sempre agiu assim!


ABSOLVIDO !!!

sexta-feira, 22 de fevereiro de 2013

CHEGA PRIMEIRO AO CÉU ?

 

No infantário, a professora pergunta:

- Qual a parte do corpo que chega primeiro ao céu?

Uma menina levanta o braço:

-As mãos, professora !

-E porquê?

-Porque quando rezamos elevamos as mãos ao céu.

Nisto, o TOMÉ retrucou.

- Não, nada disso, são os pés!

- Ah sim TOMÉ , e porquê? - Pergunta a professora ...

- Bem, esta noite, fui ao quarto dos meus pais, a minha mãe tinha os pés no ar, e estava a gritar:

- Meu Deus, meu Deus, estou indo ao céu.. estou indo ao céu...

E ainda bem que o meu pai estava em cima dela segurando-a, senão, lá ia ela.

quinta-feira, 14 de fevereiro de 2013

O Papagaio deficiente

Um sujeito está a visitar uma loja de animais de estimação quando vê um papagaio sentado num pequeno poleiro.
O papagaio não tem pés nem pernas.
O fulano diz, em voz alta:
"O que terá acontecido a este papagaio?"
O papagaio responde:
"Nasci assim. Sou um papagaio defeituoso."
"C'um caraças!", diz o homem. "Pareces ter percebido o que eu disse!"

"Percebi tudinho", diz o papagaio.
"Acontece que eu sou um Papagaio muito inteligente e instruído. "
"Ah, é?!", pergunta o homem, "Então explica-me como é que te consegues segurar no poleiro se não tens pés. "
"Bom," diz o papagaio, "isso é um bocado embaraçoso, mas, já que perguntas; eu enrolo a minha pilinha no poleiro como se fosse um pequeno gancho.
Não a vês porque as penas a tapam. "
"Puxa!", diz o homem, "realmente percebes e falas português!!"
"Na verdade eu falo também espanhol e inglês e posso conversar
com competência acerca de quase qualquer assunto; política, religião,desporto, física, filosofia. Sou especialmente bom em ornitologia. Devias mesmo comprar-me. Eu seria uma companhia bestial. "
O sujeito olha para a etiqueta do preço e vê 300 euros. "Desculpa, mas és simplesmente demasiado caro para mim."
"Psssst!", diz o papagaio, "Eu sou defeituoso, portanto a verdade
é que ninguém me quer; provavelmente podes comprar-me por 30 euros,experimenta fazer uma oferta ao dono DA loja".
O homem oferece 30 euros e sai DA loja com o papagaio.
Passam-se semanas. O papagaio é sensacional. Tem um Grande sentido de humor, é interessante, é um Grande compincha, percebe tudo, é simpático, sensível. O homem está extasiado.
Um dia ele chega a Casa vindo do trabalho e o papagaio diz-lhe "Psssst!" e com uma ASA faz-lhe sinal para ele se chegar. "Não sei ! Se devia contar-te isto ou não, mas é acerca DA tua mulher... E do carteiro".
"De que estás a falar?", pergunta o homem.
"Quando o carteiro veio hoje, a tua mulher cumprimentou-o à porta
vestida com uma camisa de noite preta e beijou-o apaixonadamente" .
"O QUÊ???", o homem exclama, incrédulo.
"E DEPOIS, o que aconteceu?"
"Bom, o carteiro entrou em Casa, levantou-lhe a camisa e começou a beliscá-la", disse o papagaio.
"Meu Deus!", o homem exclama. "E depois o que se seguiu?"
"Bom, ele tirou-lhe a camisa de noite, pôs-se de joelhos e começou a apalpá-la toda, começando nos seios e lentamente começando a descer..."
"BOM???" pergunta o homem desvairado, "E DEPOIS O QUE ACONTECEU??"
Isso queria eu saber. Fiquei com tesão e caí do poleiro!